O Delta do Parnaíba ou Delta das Américas é o nome dado à foz do Rio Parnaíba, que fica situada entre os estados do Maranhão e do Piauí. A cidade de Parnaíba, neste último estado, é o local que concentra a maior parte dessas belezas naturais. O Delta é uma formação geográfica que se abre em 5 braços, que envelopam 73 ilhas fluviais e uma paisagem natural muito rica, repleta de dunas, mangues e ilhas. Trata-se de um raro fenômeno da natureza, que pode ser observado em poucas outras localidades terrestres, a exemplo do Rio Nilo, no Egito, e do Rio Mekong, no Vietnã.

delta do parnaiba o delta das americas rio - Delta do Parnaíba - O Delta das Américas

O que fazer no Delta do Parnaíba?

O local está entre as paisagens naturais mais ricas e belas para os turistas do Brasil e do mundo. Ao se visitar a região do Delta do Parnaíba, há alguns roteiros e passeios indispensáveis que você não pode deixar de fazer, a fim de aproveitar o melhor que essa localidade tem a oferecer. Visto que são muitas opções, vamos alistar algumas.

Passeios no Delta do Parnaíba

1- Baía do Feijão Bravo

delta do parnaiba o delta das americas baía do feijão bravo 300x225 - Delta do Parnaíba - O Delta das AméricasPara chegar a Baía do Feijão Bravo a saída se dá do Porto dos Tatus, onde você embarca em lanchas rápidas pelos majestosos canais do Delta do Parnaíba.

Primeiro, você poderá explorar o Igarapé dos Periquitos, uma área com cerca de 6km de mangues com raízes aéreas, habitat propício para os famosos caranguejos da região.

A segunda parada será na Baía do Feijão Bravo, onde se revela um raro fenômeno no mundo – de um lado pode-se ver uma praia formada à beira do rio, e do outro, uma linda praia banhada pelo oceano atlântico. As florestas de manguezais e as lagoas formadas no período de chuvas complementam esse cenário espetacular da natureza.

2 – Revoada dos Guarás

Nesse incrível cenário, escondidos por entre às árvores, está um dos principais destaques da fauna local – os guarás – aves com plumagem avermelhada e de voos potentes e graciosos, que juntas exibem um espetáculo de cores no ar.

A saída do passeio se dá também do Porto dos Tatus. O roteiro segue cortando as águas do rio por entre seus canais e igarapés, com uma parada no manguezal onde você poderá ver uma demonstração da cata do caranguejo, a Baía do Caju, a Ilha das Canárias, as dunas do Morro do Meio, e finalmente chegando ao fim da tarde no dormitório dos Guarás, período em que essas encantadoras aves desfilam sua bela plumagem avermelhada, contrastando com o pôr do sol ao fundo que reflete nas águas do rio, um verdadeiro espetáculo da natureza.

3 – Baía das Canárias

delta do parnaiba o delta das americas passaros 300x200 - Delta do Parnaíba - O Delta das Américas

Por entre os canais que serpenteiam pelo Rio Parnaíba, passeios de lanchas são um atrativo especial para os praticantes do ecoturismo ou mesmo para quem deseja simplesmente vislumbrar toda essa beleza natural. Para chegar a Baía das Canárias, o passeio começa pelo Porto dos Tatus com destino ao igarapé dos Periquitos, uma área com cerca de 6km de mangues com raízes aéreas, habitat propício para os famosos caranguejos da região. Alí, você irá observar uma demonstração da cata desse fruto do mar tão apreciado na culinária Nordestina.

4 – Safari Noturno – Visita aos Jacarés

Se você não dispensa uma boa aventura, esse passeio é ideal para você. A rica fauna existente ao longo de todo o delta é um dos principais atrativos desse lugar fascinante, principalmente à noite, quando as mais variadas espécies de animais podem ser avistadas.

A aventura começa saindo ao anoitecer do Porto dos Tatus, seguindo pelo Rio Parnaíba até chegarmos no Igarapé do Iguirindó, onde você embarca em canoas a remo para visitar duas pequenas ramificações do rio. É lá que pode-se observar com mais frequência os macacos pregos pendurados em árvores, cobras, morcegos, iguanas, pássaros de muitas espécies, caranguejos e um dos reis das águas do Delta: os jacarés.

Durante o passeio o guia condutor captura alguns desses jacarés, de uma espécie de pequeno porte, para que você possa vê-los bem de perto e até mesmo segurá-los com as próprias mãos, uma experiência emocionante para os amantes da natureza e da aventura. Após a visitação, todos os animais são devolvidos ao seu habitat natural, garantindo o equilíbrio do meio e a preservação das espécies.

Como chegar no Delta do Parnaíba

São muitas as maneiras de chegar ao Delta do Parnaíba. Você pode optar por via aérea ou terrestre.

Por via terrestre você pode escolher transporte coletivo (ônibus ou van) ou transporte privativo (geralmente para 4 pessoas), o que é mais indicado se você quer aproveitar melhor o tempo em seu destino.

Agora, se além de aproveitar mais o tempo, você busca também custo x benefício, a opção é o transporte privativo compartilhado, onde o valor do transfer é dividido entre os viajantes. Dessa forma, você desfrutará de uma viagem segura e tranquila.

delta do parnaiba o delta das americas transfer - Delta do Parnaíba - O Delta das Américas

Outros pontos turísticos do Delta do Parnaíba

Porto das Barcas – O Porto das Barcas certamente é um dos pontos turísticos mais interessantes da região do delta das Américas. Fica localizado no município de Parnaíba, mais especificamente ao pé da ponte que liga a Ilha Grande de Santa Isabel ao continente, na margem do rio Igaraçu. A história do porto começa no início do século XX, com a construção de imensos armazéns para a estocagem de mercadorias como babaçu e cera de carnaúba, à época em alta em países europeus como Portugal, Espanha, Inglaterra e Alemanha. O comércio e a movimentação portuária se intensificaram trazendo riquezas e prosperidade à região.

Contudo, por volta da década de 1940, o mercado internacional dos produtos exportados pelo porto começou a entrar em crise, de modo que a demanda pelos produtos afrouxada fez com que a cidade de Parnaíba perdesse o espaço que tinha conquistado. O Porto das Barcas, desde então, perdeu sua principal utilidade, levando à estagnação econômica e social da região.

A reviravolta para o porto veio com a renovação das rotas de turismo nacional e internacional para o local. Desse modo, o Porto das Barcas funciona hoje como porta de entrada para a região do delta do Parnaíba, sendo apinhado de pousadas, além de uma série de pequenos comércios de artesanato. O porto tem uma infraestrutura adequada para os turistas, com posto de polícia, bares, restaurantes e estacionamentos. As ruínas estão entre as principais atrações do porto, pelo grande valor histórico que carregam até hoje. Todo o local parece respirar a história do Piauí, como bem se vê na arquitetura rústica e nos prédios históricos. O artesanato também é uma faceta muito rica da cultura do Porto das Barcas, além de ser extremamente variado, contando com opalas de D. Pedro II, quadros pintados por artistas locais e até mesmo arte sacra.

Ilha do Caju – A Ilha do Caju fica localizada a 50 quilômetros do município de Parnaíba, bem na divisa do Piauí com o Maranhão. O clima quente e tropical tem duas estações bem definidas, a chuvosa e a seca. Com uma paisagem composta por dunas de areia, mangues e ilhas fluviais, a temperatura do local, em média, fica por volta dos 27 ºC. As belezas naturais da Ilha do Caju são variadas, contendo em seu território, além das dunas e dos mangues, diversos campos e alagados de água salobra. Em um espaço relativamente pequeno, o turista entra em contato com a diversidade ecológica do Brasil, ao mesmo tempo que desfruta da infraestrutura à sua disposição. O ecoturista pode avistar uma série de espécies diferentes de animais, como tatus, gatos-maracajás, tucanos, guaxinins, veados, pica-paus, macacos, jacus, guarás, garças, colhereiros, marrecas, tartarugas sortidas, botos etc.

Praia da Pedra do Sal – Para finalizar, não poderíamos deixar de mencionar a Praia da Pedra do Sal, na Ilha Grande de Santa Isabel, a 15 quilômetros de distância do centro de Parnaíba. Essa praia se estende por 8 quilômetros, dividida em duas por um morro marítimo de rochedos graníticos: o lado “bravo” da praia, que apela mais para surfistas por conta de seu mar mais agitado, e o lado “calmo”, que tem um mar mais calmo e é mais frequentado por famílias e crianças.

Para ter acesso à praia, o caminho é pela rodovia PI-116. A movimentação da praia se restringe aos quiosques que funcionam apenas durante o dia. Para quem está atrás de um agito noturno, recomenda-se a hospedagem em algum hotel ou pousada no município de Parnaíba. Apesar da praia ser mais conhecida pelos turistas piauienses, suas belas paisagens circulam prolificamente nos principais meios de comunicação do país.

delta do parnaiba o delta das americas praia - Delta do Parnaíba - O Delta das Américas

História e curiosidades do Delta do Parnaíba

A região do delta do Parnaíba forma um arquipélago com mais de 70 ilhas e 2.700 quilômetros quadrados de área.

Os 5 “braços” em que se divide o delta do Parnaíba são também comparados aos 5 dedos de uma mão, numa metáfora em que cada dedo corresponde a uma barra diferente, a saber, Barra de Tutoia, Barra do Caju, Barra do Igaraçu, Barra das Canárias e Barra de Melancieira. O delta do Parnaíba é uma das 3 atrações da chamada Rota das Emoções, um roteiro que também conta com os destinos de Jericoacoara e Lençóis Maranhenses. A região é contemplada por um programa inaugurado em 2005 pelo Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE) e pelo Ministério do Turismo, em parceria com lideranças, empreendedores e entidades locais, com o fim de desenvolver a localidade. O destino também já foi considerado como Melhor Roteiro Turístico do país, em 2009, pelo Ministério do Turismo.

O primeiro registro histórico que se tem do delta do Parnaíba data da expedição do explorador português Nicolau de Rezende, que, por volta do ano de 1571, enquanto navegava pelo litoral da região, acabou naufragando na divisa do que hoje são os estados do Maranhão e do Piauí. À época, o local era habitado pelos índios tremembés. A carga do navegador consistia numa grande quantidade de ouro, que acabou se perdendo nas águas. Nos 16 que se seguiram, Rezende permaneceu na região do delta, mas nunca encontrou o ouro perdido.

Gostou? Compartilhe nas suas Redes Sociais! :)